Gravidez na Adolescência em Cidade Tiradentes

Cidade Tiradentes, distrito na zona leste, registra proporcionalmente as maiores taxas de gravidez na adolescência de São Paulo, segundo levantamento divulgado em 2015 pela Coordenação de Epidemiologia e Informação (CEInfo), da Secretaria Municipal da Saúde.

A pesquisa, com números referentes a 2013, indica uma média de 36,4 gestantes a cada grupo de mil garotas com idade inferior a 20 anos (estudo disponível ao lado, na opção Saiba Mais). Para fins comparativos, Pinheiros, subprefeitura com menor taxa do município, soma 4,7 adolescentes grávidas a cada mil, de acordo com o estudo.

Os fatores que incidem na ocorrência da gestação precoce são variados e complexos. Embora os serviços de saúde sejam ofertados por uma rede única, especificidades e características de cada território são determinantes dentro do processo de regionalização dos atendimentos prestados à população. Por meio de indicadores, o poder público identifica quais necessidades devem ser priorizadas em cada localidade e, a partir dessas informações, articula estratégias específicas para cada demanda.

Nesse cenário, o fato de registrar a maior incidência de fecundidade entre adolescentes no município tem exigido da Coordenadoria Regional de Saúde Leste (CRS Leste), por meio da Supervisão Técnica de Saúde (STS) Cidade Tiradentes, tratamento diferenciado a esse fenômenoem relação ao que ocorre em outras localidades de São Paulo.

Diariamente, os profissionais da STS Cidade Tiradentes lidam com o desafio paralelo de desenvolver ações que resultem na redução da gravidez não planejada (envolvendo desde a oferta de métodos contraceptivos à promoção de educação sexual) e, ao mesmo tempo, garantir integralidade no atendimento às adolescentes grávidas (antes, durante e depois do parto), além de estender esses cuidados aos bebês.

Para tanto, a STS conta com mecanismos multissetoriais inseridos na comunidade que direcionam suas atenções a crianças e adolescentes e os reconhecem como cidadãos de direitos (entre eles o sexual e reprodutivo). Ao compreender a gravidez na adolescência como um fenômeno multifatorial, a STS condiciona o enfrentamento desse quadro a uma atuação integrada.

Sobretudo no que se refere à educação sexual, a CRS Leste encontrou na Plataforma dos Centros Urbanos (PCU) uma força aliada no combate a um dos principais fatores relacionados à gravidez na adolescência: a vulnerabilidade social.

Iniciativa do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), em parceria com a Prefeitura de São Paulo e o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, a PCU tem atuado em territórios com altos índices de vulnerabilidade buscando reduzir desigualdades que atingem a vida de crianças e adolescentes. O objetivo é garantir maior e melhor acesso à saúde, educação, proteção e oportunidades de inclusão social.

A parceria resultou, por exemplo, na 1ª Semana do Bebê de São Paulo, realizada em Cidade Tiradentes, em 2015, e que deixou importantes contribuições para o território. Uma das metas propostas pela PCU envolve especificamente a diminuição do percentual de gravidez entre mulheres de 10 a 19 anos. Desde a chegada da PCU ao território, a participação cidadã dos adolescentes éuma das estratégias essenciais que se tenta estimular.

A Plataforma dos Centros Urbanos completa sua atuação em Cidade Tiradentes após um ciclo de quatro anos (2013 a 2016) e deixa um relevante legado social que se soma aos esforços da STS e seus parceiros (como secretarias municipais, São Paulo Carinhosa, Plano Juventude Viva, Casa Ser Dorinha e Instituto Pombas Urbanas) na tentativa de garantir aos jovens todas as ferramentas necessárias para que melhorem suas condições e perspectivas de vida e possam, por consequência, encarar a gravidez como uma opção consciente e planejada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *